Desenho de uma mão cortando uma nota de dinheiro. Aparentemente a mão é de um homem que está vestindo terno.

10 maneiras de cortar custos na empresa

Não é segredo nenhum o fato de que o país vem enfrentando uma das mais severas crises econômicas da sua história. É preciso ter muita criatividade para driblar a falta de oferta de crédito no mercado, os pesados juros praticados pelos bancos e a redução no padrão de consumo da família brasileira. Para as empresas, recessão é (e sempre será) sinônimo de corte de gastos. De toda forma, mesmo em uma situação de estabilidade, a busca pela máxima eficiência deve ser meta constante do gestor.

Fazer mais com menos não traz reflexos apenas para a margem de lucro do empresário, mas também ajuda a criar um produto ou serviço mais competitivo, consequentemente colocando a empresa em uma posição melhor no mercado. Já o cliente, por sua vez, pode usufruir do produto final a um preço mais em conta. Assim todos saem ganhando!

É interessante esclarecer que dificilmente a solução para todos os problemas de uma organização em termos de corte de custos poderá ser resumida a uma única ação. Por isso, é necessário adotar uma postura nova, que valorize aquelas pequenas economias que farão uma grande diferença no final. É isso mesmo! Não podemos negligenciar gastos com contas de luz, telefone e água, tampouco com o cafezinho! Tudo deve passar pela peneira da eficiência. Quer saber por onde começar? Confira a seguir 10 maneiras de cortar custos na empresa!

Cópias e impressões

A política da empresa com relação ao uso das fotocopiadoras é sempre um assunto delicado, uma vez que envolve não só uma grande despesa para a organização como também um grande prejuízo do ponto de vista ambiental. Fazer uma campanha no sentido de promover o melhor uso desses equipamentos pode alinhar esses pontos importantíssimos. A direção da empresa também pode orientar seus funcionários a, sempre que possível, trabalhar com arquivos digitais. E que tal colocar como padrão a impressão usando os 2 lados da folha, já que muitos equipamentos vêm com essa função integrada?

Conta de luz

O consumo indiscriminado de energia elétrica pode se transformar em um verdadeiro pesadelo para os cofres da empresa. Uma forma simples de combater esse vilão é aproveitando ao máximo a luz solar e a climatização natural. Apagar luzes de salas, corredores e banheiros vazios também faz uma diferença muito grande. Se possível, ao encerrar o expediente, desligue a luz no quadro de energia para evitar que aparelhos em standby continuem a consumir energia mesmo estando desligados.

Telefone e internet

Reduzir os custos na empresa com pacote de telefone e internet envolve uma dose de autoconhecimento. É preciso conhecer o perfil do negócio. Qual é a real necessidade de fazer chamadas interurbanas ou para telefones celulares? Qual é a real necessidade de realizar downloads de arquivos grandes em pouco tempo? O primeiro passo, portanto, é escolher um plano compatível com as demandas da empresa, de preferência um plano corporativo. O segundo passo consiste em orientar colaboradores a não fazer uso pessoal dos telefones e pacotes de dados.

Copos descartáveis

Copos descartáveis de água e café representam, no longo prazo, um verdadeiro prejuízo para a empresa — sem contar para o meio ambiente. Trata-se de um hábito que pode facilmente ser substituído com o uso de copos e canecas de vidro ou louça individuais. Para que os funcionários não saiam perdendo, a empresa pode até fornecer uma caneca personalizada de brinde. Apesar do custo inicial mais elevado, os benefícios não demoram a aparecer.

Deslocamento

Muitas vezes, custos com passagens aéreas, hospedagem e táxis são extremamente necessários para a execução dos trabalhos da empresa. Mas dá sim para ajustar! No que se refere aos gastos com táxi, é sempre melhor que a empresa contrate diretamente um sistema de transporte corporativo, eliminando as chances de fraude e dando um controle maior sobre a prestação do serviço — via aplicativo ou emissão de relatórios gerenciais no sistema.

Jornada de trabalho

Funcionários submetidos a jornadas de trabalho menores tendem a ser mais produtivos, sabia? Isso sem contar que têm uma qualidade de vida bem maior. Mas o que a empresa ganha com isso? Se um colaborador faz em 6 horas o mesmo que faria em 8, isso provavelmente significa que ele trabalhou com mais foco, fazendo pausas menores para café, almoço, cigarros e assim por diante. E se do ponto de vista da produtividade não há diferença alguma, não podemos dizer o mesmo dos custos. Quanto menos tempo um funcionário fica na empresa menos gastos representa em termos de energia elétrica, água, café e por aí vai.

Material de escritório

Muitas vezes, o que acaba acontecendo na rotina de diversos escritórios e empresas é deixar por conta do próprio fornecedor o levantamento da necessidade de reposição do material de escritório. A princípio, poderíamos até pensar que esse serviço prestado pelo fornecedor torna a vida mais prática, proporcionando até economia de tempo e dinheiro. Mas deixar o próprio fornecedor orçar o que vende está longe de ser uma situação ideal. Tente reduzir aos poucos a quantidade do material. Normalmente, uma redução de até 40% não costuma impactar na produtividade da empresa.

Negociação com fornecedores

Muitas empresas acabam pagando mais do que deveriam por produtos e serviços simplesmente porque mantêm ativos contratos muito antigos. É sempre bom ter uma lista atualizada de fornecedores e fazer novas pesquisas de mercado frequentemente. Produtos ligados à área de tecnologia, por exemplo, sofrem muitas transformações em pouco tempo. Alguns outros mercados também estão bem mais competitivos do que eram há 5 ou 10 anos.

Planejamento do estoque

Um estoque mal planejado pode ser um grande fator de desperdício de dinheiro dentro da empresa. Infelizmente, é muito comum observarmos estoques abarrotados de produtos com baixa rotatividade. O setor de compras da empresa deve estar atento à saída de cada produto para ir ajustando as quantidades. Caso contrário, a empresa acaba gastando mais do que deveria com armazenamento, possíveis avarias e depreciações nas mercadorias.

Terceirização

A terceirização pode ser uma opção bem interessante, principalmente no que se refere às atividades-meio da empresa — aquelas que não estão ligadas ao produto ou serviço final oferecido aos clientes. Pense bem: aquilo que não é sua especialidade certamente é a especialidade de outra empresa com a qual você pode fazer parceria. Lembre-se de que o mundo dos negócios não é sempre um jogo de soma zero, com um ganhando enquanto o outro perde. Nesse sentido, é possível (e desejável) que 2 empresas cooperem para que, no fim, ambas saiam vencedoras.

Pensemos, por exemplo, em um restaurante. É evidente que a especialidade do estabelecimento não é realizar segurança privada. Agora imagine se essa empresa resolvesse, por conta própria, recrutar, contratar e treinar um profissional de segurança. Seria necessário contratar especialistas, adquirir know-how e obter autorizações especiais na Polícia Federal, tudo para ter um único segurança na porta do restaurante. Simplesmente não vale a pena!

E aí, gostou do nosso post? Então você certamente também se interessará em conhecer 6 táticas definitivas para melhorar o controle de custos corporativos!

Veja Também

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.