Homem pensa ao utilizar o notebook que está em cima de uma mesa marrom em um escritório

6 dicas de finanças para empresas

Independentemente de uma empresa estar com as contas no vermelho ou no azul, identificar sua atual situação financeira é a melhor forma de traçar novos rumos e tomar as melhores decisões para o sucesso do seu negócio. O controle financeiro é indispensável para um empreendimento de sucesso. 

Com ele, a empresa terá saúde e poderá prosperar. Terá ainda condições de administrar bem seus recursos e planejar suas próximas fases, ou ainda suportar cenários pouco favoráveis. Como já dizia o filósofo romano Sêneca, “nenhum vento sopra a favor de quem não sabe para onde ir”. Saber a direção a seguir evita erros de percurso, o que implica na melhor utilização de recursos.

Portanto, não perca as 6 dicas de finanças que daremos no post de hoje. Acredite: elas podem evitar que sua empresa vá à falência! Ficou curioso? Acompanhe!

1. Invista no fator humano

Cubra-se de ótimos profissionais, pessoas que possam identificar riscos e que possam prover soluções e informações importantes sobre a empresa no seu processo de tomada de decisões, recomenda Valdomiro Benjamim Júnior, professor de graduação e pós-graduação da Trevisan Escola de Negócios.

2. Tenha controle do orçamento

“Por meio do orçamento empresarial, é possível planejar, visualizar e acompanhar os cenários futuros da empresa”, afirma Marcelo Camarozano, diretor de gestão e performance da Crowe Horwath.

O ideal é que o fluxo de caixa seja realizado diariamente. Dessa forma pode-se ter total controle financeiro do empreendimento e realizar um planejamento eficaz. Além disso, ciente do fluxo de caixa, a empresa pode identificar rapidamente se houve alguma irregularidade e tomar as decisões cabíveis, segundo Debora Santille, professora de finanças da escola de negócios MBI (Master of Business Innovation).

Contas a pagar; contas a receber; transações bancárias; estoque e compras: não perca nada de vista na sua rotina empresarial.

3. Organize seu tempo

Invista 70% do tempo disponível em planejamento; 20%, executando sua tarefa da forma correta e sem retrabalhos; e 10%, controlando e corrigindo rumos.

4. Entenda o mercado

Conheça o mercado onde atua, compreenda os instrumentos financeiros que os seus concorrentes utilizam e avalie se estão sendo bem-sucedidos.

Estude como as empresas funcionam pelo mundo e descubra maneiras de fazer as coisas de um jeito diferente usando menos recursos e obtendo melhores resultados.

5. Atente-se aos benefícios

Por meio do planejamento financeiro é possível enxergar o valor do recurso disponível, (controle do capital de giro), identificar quando irá faltar recursos, tomar decisões antecipadas corrigindo a rota da empresa, de modo a evitar o endividamento e a falta da capacidade de honrar seus compromissos.

Controlar as finanças provê a noção de destino, dá um norte. “Planejar limita as chances de erro em pegar caminhos sem um pensamento contextualizado, já que a empresa ganha propósitos específicos com o planejamento. Ações que desviem desses propósitos devem ser eliminadas do calendário da organização”, lembra Benjamin Júnior.

Não pense somente no custo de planejar, pense nos benefícios. Seja qual for o tamanho da empresa, investir em um conselho de administração, em uma controladoria e em uma contabilidade bem estruturada pode se mostrar muito vantajoso do ponto de vista do retorno que essas estruturas trazem às organizações.

Empresas que obtiveram notório sucesso no cumprimento de suas missões não abdicaram dessa estrutura essencial. “No Brasil, passamos por um momento de transição em que as informações financeiras e contábeis passam por uma mudança de percepção quanto à sua utilidade e essencialidade. A cultura voltada para excelência passa a ser a tônica e essa só é alcançada quando pautada pelo combustível máximo da boa gestão: boa informação”, explica Benjamim Júnior.

6. Lembre-se dos riscos

O desequilíbrio financeiro definitivamente não interessa a ninguém. Ele nasce da alocação errada de recursos e possui diversas origens. Via de regra, para ser sanado, requer acesso a mais recursos financeiros que, em momentos de dificuldade, acabam custando muito caro.

O maior risco de não se ter as finanças em ordem é o de fazer alocações de recursos financeiros que podem ser danosas à organização. Quer um exemplo? Pense em uma situação com a qual nos deparamos no dia a dia e que requer a alocação de algum recurso, financeiro ou não. 

Quantas companhias começam projetos sem o devido planejamento e no meio do caminho descobrem que falta dinheiro para continuar a empreitada? Quanto mais caro irá pagar pelo dinheiro para continuar o projeto se precisar fazer isso de maneira emergencial? E se abortar o projeto, quanto terá jogado fora por desistir por falta de recursos? 

Saber lidar de antemão com essas situações nos dá vantagens e aumenta as chances de aplicarmos dinheiro em coisas prioritárias, não é mesmo? A mesma coisa vale para as empresas!

E lembre-se: cada companhia tem seus propósitos, sua missão, sua razão de existir. Seja fornecer o melhor pão da cidade, ou produzir tecnologias que façam a humanidade avançar, essa missão será melhor cumprida se a empresa tiver bem claro qual a origem dos seus recursos e como eles serão reaplicados no negócio.

Bons planejamentos nascem do conhecimento que a empresa tem de si própria, do mercado e do ambiente geral que a circunda. “Compreender o regime de suas receitas e a periodicidade dos seus gastos traz às companhias o suporte para que elas possam antecipar decisões importantes e estratégias que serão decisivas para a sua continuidade”, recomenda Benjamim Júnior.

Em última análise, alerta Santille, a empresa corre o risco de quebrar se for surpreendida pela falta de caixa para honrar seus compromissos. Também corre o risco de não conseguir obter investidores e financiamentos com melhores taxas porque não apresenta um bom modelo de planejamento e consistência em seu fluxo de caixa.

Viu como essas dicas de finanças são fundamentais para a saúde e o sucesso do seu negócio? Para se aprofundar mais sobre esse assunto, aproveite para conferir esse nosso post que traz tudo o que você precisa saber sobre gestão de custos!

Veja Também

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.