Mobilidade urbana: a integração como oportunidade

O preço de um apartamento, o preço de um cafezinho, a quantidade de pessoas curtindo uma determinada praça no fim de semana, a saúde do seu relacionamento e até o seu humor para participar de algumas reuniões do trabalho: tudo isso é afetado diretamente pelo planejamento de mobilidade urbana da sua cidade. Um tema que tem ficado cada vez mais presente, tanto em debates políticos quanto em conversas de buteco.

Agora, será que mobilidade urbana tem a ver só com carro? Onde entram os táxis nessa história? O que, afinal, é importante para o trânsito das cidades?

São essas e outras questões que responderemos aqui nesse post. Confira com a gente!

Entendendo melhor os verdadeiros problemas da mobilidade urbana

170 milhões: essa é a quantidade de brasileiros que hoje mora nos grandes centros urbanos. Um número que corresponde a 85% da população do país, segundo os dados do IBGE. Ou seja: é muita gente!

E com tanta gente assim habitando nas cidades (e, em boa parte, dependendo dos sistemas de transporte público), dá para entender porque que o aumento de poucos centavos na passagem dos ônibus pode afetar tanto o humor quanto o bolso da população, como vimos em 2013.

Pois esse é um dos maiores desafios da mobilidade urbana em qualquer país do mundo: como lidar com o aumento de moradores das cidades e ainda conseguir levar cada um do ponto A ao ponto B com o menor tempo possível, por um preço acessível e com qualidade. Algo que, com certeza, não será resolvido com o aumento do número de carros pessoais nas ruas, e sim com o aumento opções de transportes para a população.

Mais opções de transportes

Bike, metrô, carro, moto, ônibus e táxi. Essas são só alguma das opções que podem ajudar com os problemas de transporte das cidades.

“Opa, mas peraí. Mas todas elas já existem hoje! Por que, então, não estamos vendo resultado”? Bem, se você estiver se fazendo essa pergunta, a gente responde: porque elas ainda não são usadas na medida certa pela população.

Veja só: de acordo com a Agência Brasil, só em São Paulo, 60% da população usa algum tipo de carro pessoal diariamente para ir e voltar ao trabalho. E isso, mesmo com o preço só para manter o carro na garagem girando em torno de R$1000 por mês — um valor que, se gasto com táxi, por exemplo, daria para andar bastante por aí.

Agora, imagine se boa parte dessas pessoas optasse por outros meios transporte ou, pelo menos pela integração entre eles. O que será que poderia mudar na vida delas e na de quem também sofre com o trânsito das cidades?

Velocidade de acesso

Pense o seguinte: precisa chegar rapidamente até um ponto que fica a 3KM de onde você mora? Então provavelmente você chegaria mais rápido de bicicleta do que de carro.

Precisa fazer bonito naquela reunião fora do escritório? Então ir de táxi pode ser a melhor escolha, afinal, você não vai precisar ficar procurando por algum lugar para estacionar, não vai ter desgaste (mental e físico) com o trânsito e ainda economizará uma nota.

Logo, existem maneiras mais interessantes e práticas de ter acesso rápido pela cidade sem ser de ônibus ou carro. E essas maneiras podem, inclusive, ajudar até na motivação dos funcionários de uma empresa.

A mobilidade urbana e a motivação dos funcionários

Nós já demos aqui no blog 8 dicas imbatíveis para motivar seus funcionários, no entanto, existe uma 9.ª que não foi listada: não fazê-los esquentar ainda mais a cabeça com o trânsito.

De acordo com um relatório do IPEA de 2013, os moradores de cidades como São Paulo e Rio de Janeiro gastam em média cerca de 43 minutos só para chegar até o trabalho. Uma média que deixa o Brasil atrás apenas de Xangai no ranking de lugares com mais tempo gasto no percurso de casa ao escritório, e que, claro, afeta diretamente a motivação dos funcionários na hora de realizar suas funções.

Por isso, nada melhor do que incentivar as suas equipes a utilizar meios diferentes para se chegar até o trabalho ou até mesmo ajudá-los a tornar algumas viagens menores mais eficientes, ligando algumas estações de ônibus com a empresa através do uso de táxis, por exemplo — o que poderia reduzir o tempo no trânsito e a qualidade do restante do deslocamento.

post-1

Diminuição do trânsito

Pensar em métodos para melhorar a mobilidade urbana e reduzir o trânsito seria, com certeza, uma excelente ideia para reduzir o tempo de deslocamento para o trabalho. No entanto, não é preciso depender das rodas para sentir os benefícios de uma queda na quantidade de trânsito.

Barcelona, por exemplo, era uma cidade que tinha todos os problemas que as grandes cidades tem com o trânsito: muitos acidentes, muito tempo perdido com engarrafamentos ao longo do dia e, claro, muita poluição. Foi aí que, em 2013, bolaram um plano de mobilidade que fez o seguinte:

  • Construiu mais de 300 km de ciclovias.
  • Renovou o sistema de ônibus, aumentando sua frequência e sua acessibilidade.
  • Criou mais espaços verdes para a população andar a pé.
  • Reduziu a velocidade máxima dos carros dentro de determinadas áreas.

Com tudo isso as pessoas começaram a andar mais a pé pela cidade, deixaram os carros em casa e priorizaram os deslocamentos através de meios alternativos. Ações que acabaram revitalizando alguns espaços públicos, promoveram a interação entre as pessoas e até integrou mais a sociedade com as decisões do governo.

Mais espaços para os pedestres (e mais chances de negócios)

Esse caso de Barcelona (e de várias outras cidades do mundo que seguiram por esse caminho de devolver as ruas para as pessoas) traz também um outro aspecto interessante: quando as pessoas começam a andar mais pela cidade, pequenos e médios negócios também podem se beneficiar disso, como cafés, bares, ateliês, restaurantes, pequenas lojas de rua e até shoppings. Algo que, no final das contas, aumenta os números da economia local e acaba voltando para a sociedade.

Como você viu por aqui, optar por outros meios de transporte além do carro, como a bicicleta e os táxis, pode ser algo excelente para ajudar na diminuição do trânsito das cidades, na melhoria da mobilidade urbana e até em nossa motivação do trabalho. Ou seja: todo mundo só tem a ganhar!

Agora, se você quiser saber como, além de ajudar na mobilidade, o táxi também pode reduzir os gastos do seu negócio, basta conferir o nosso Guia para economizar com táxi, transporte e viagens em sua empresa

Veja Também

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *