Dois homens que estão no escritório analisam um gráfico que está no papel. Um aponta o lápis para folha enquanto o outro segura um celular

Os 5 pilares para uma gestão eficaz

O maior diferencial competitivo de uma empresa está no potencial intelectual e criativo de seus profissionais, por isso as práticas relacionadas à gestão de pessoas já estão entre as prioridades de todos os empresários e gestores.

De fato, é preciso investir em ações que garantam a atração e retenção de talentos, a formação de equipes de alta performance, a preparação de novos líderes e, claro, mais produtividade e eficiência.

Entretanto, uma gestão eficaz deve estar apoiada em 5 pilares básicos, que são:

1. Motivação

Motivação é a dose de energia que provoca o movimento e que gera a disposição para enfrentar desafios maiores. Em geral, está intimamente relacionada ao desejo de realização e à busca pela satisfação pessoal.

No ambiente de trabalho, a motivação é o estímulo para o aprendizado contínuo e para a superação de barreiras. E, quando é intrínseca, faz com que o indivíduo abandone a sua zona de conforto e procure a excelência.

Ao mesmo tempo, a falta dessa energia causa apatia e acomodação, o que afeta o desempenho do colaborador. Na verdade, essa estagnação bloqueia posturas importantes para o mundo corporativo, tais como a proatividade, a persistência e o engajamento.

Por isso, a motivação é o pilar mais importante da gestão de pessoas. Assim, é preciso entender o que motiva cada profissional. Nessa lista, costumam estar a remuneração e os incentivos financeiros, os benefícios inteligentes, um plano de carreira consistente, a identificação com a cultura organizacional, uma liderança inspiradora e, também, as políticas de reconhecimento e valorização.

Então, para alavancar os índices de motivação das equipes, é preciso apostar em práticas efetivas, que envolvam um plano de metas, avaliações de desempenho, delegação, feedback e oportunidades reais de crescimento. Além disso, é essencial garantir uma gestão mais humanizada, com base na meritocracia, na coerência e na transparência.

2. Processos de comunicação

Para manter o time motivado, também é preciso assegurar uma comunicação interna eficiente. Para tanto, já é possível contar com diversas soluções tecnológicas que agilizam e simplificam o fluxo de informações — como os aplicativos de mensagens, os e-mails, a intranet e os sistemas integrados.

No entanto, a recomendação é evitar a total virtualização dessa comunicação e, por isso, as reuniões gerenciais devem ser bem exploradas. Esses encontros servem para manter a equipe atualizada sobre novas demandas, pendências e urgências.

Mas também precisam incentivar o diálogo, a participação e a colaboração. Nesse caso, o gestor tem papel especial, pois além de ser um excelente comunicador, deve saber ouvir com empatia. Assim, consegue estabelecer um clima mais colaborativo e agregador.

3. Trabalho em equipe

Para que a empresa atinja seus objetivos, é essencial que haja uma forte integração entre departamentos e times. Porém, essa união depende da capacidade de trabalhar em equipe.

Muitas iniciativas favorecem essa cooperação. Dentre as principais, estão a criação de grupos multifuncionais, responsáveis por conduzir determinados projetos. A definição de metas coletivas também promove essa aproximação e, ao mesmo tempo, evidencia a importância da complementariedade.

Algumas habilidades específicas são indispensáveis ao trabalho em equipe, como flexibilidade, humildade, ética e autoliderança, além da capacidade de mediar conflitos e de buscar consensos.

Os softwares de compartilhamento de tarefas são outra excelente opção, já que funcionam como uma plataforma gerencial, em que é possível listar atividades, organizar agendas, monitorar indicadores e mensurar o rendimento de todos.

4. Conhecimento e competência

A capacitação dos profissionais é mais um dos pilares de uma gestão eficaz de pessoas, por isso, é essencial implementar ações voltadas à construção de times mais fortes e competentes.

Paralelamente, o ideal é realizar a avaliação de desempenho por competências. Para isso, é preciso definir quais são as competências mais importantes para a empresa e para cada setor — como resiliência, negociação, disciplina e persuasão. Depois dessa etapa, é necessário estipular pesos, métricas e critérios de medição.

O feedback também é uma importante ferramenta de gestão, destinada ao desenvolvimento e amadurecimento dos colaboradores. Por meio de conversas francas e estruturadas, o líder deve orientar e corrigir desvios. Porém, o feedback precisa ser baseado em fatos e acontecimentos, evitando o lugar-comum e os comentários superficiais e generalistas.

A delegação é mais um recurso a ser utilizado e deve estar presente no dia a dia de gestores e de suas equipes. No entanto, é fundamental monitorar e apoiar esses profissionais, de modo que todos possam aprender, evoluir e, claro, atingir os resultados esperados.

Outro fator importante é a padronização dos processos de recrutamento. Afinal, uma gestão eficaz começa com a formação dos times. O primeiro passo deve ser sempre a definição do perfil ideal para a vaga, abrangendo uma série de aspectos técnicos, gerenciais e comportamentais. Assim, o recrutador passa a atuar com parâmetros claros de seleção, eliminando a subjetividade das escolhas.

5. Treinamento e desenvolvimento

Um programa de treinamento verdadeiramente eficiente deve contemplar as necessidades da empresa — que podem envolver processos críticos, variáveis externas, reciclagens obrigatórias e a chegada de novas tecnologias, por exemplo.

Entretanto, é fundamental considerar também os valores e cultura organizacional, além do perfil dos profissionais, incluindo habilidades, preferências, ambições, vocações e deficiências. Assim, é mais fácil elaborar um programa personalizado, respeitando as características de cada colaborador.

É importante atingir um ponto de equilíbrio, de modo que tanto a empresa quanto as equipes estejam satisfeitas com o programa. Por isso, é preciso identificar quais são os cursos mais requisitados internamente. Uma pesquisa online é suficiente para coletar essas informações, a fim de criar um planejamento mais completo e atrativo para todos.

É preciso salientar, ainda, que treinamentos pontuais não bastam. O programa deve ser absorvido pela cultura corporativa, de modo que o aprendizado e a qualificação se tornem uma rotina para os profissionais.

Então, é essencial que esse planejamento estratégico contemple todas as demandas corporativas em curto, médio e longo prazo. Dessa maneira, a empresa garante a qualificação das equipes e estabelece uma relação de confiança com seus colaboradores.

Considerando esses 5 pilares, é possível consolidar uma gestão eficaz, com foco no capital humano. Dessa maneira, é possível garantir mais produtividade e competitividade.

E então, preparado para ter uma gestão eficaz? Que tal aprofundar seus conhecimentos lendo nosso post sobre 8 dicas imbatíveis para motivar seus funcionários?

Veja Também

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.