pessoas-seguindo-líder-caminhando

Tipos de liderança: descubra qual é o seu e os seus pontos fortes

Gerir uma empresa é um desafio constante até mesmo para os profissionais mais experientes. Estar diariamente no comando de times que reúnem características diferentes também requer conhecer os tipos de lideranças e obviamente em qual delas você se encaixa para, assim, desenvolver as suas potencialidades e desenvolver os pontos fracos.

No artigo de hoje, o blog 99 Empresas bateu um papo sobre o tema com Higor Gonçalves, pós-graduado em Comunicação Mercadológica e Marketing do Consumo. Gonçalves também presta consultorias de comunicação para PMEs e para executivos do mercado corporativo. Confira a entrevista exclusiva a seguir.

Quais são os tipos mais comuns de liderança e seus pontos fortes e fracos?

Higor Gonçalves: É imprescindível destacar que, mais do que um cargo ou uma posição hierárquica, liderar é uma atitude. “Liderança é ação, não posição”, como tão bem pontuou no passado Donald H. McGannon, que foi um dos grandes executivos e, claro, um líder no mercado de televisão nos Estados Unidos. Posto isso, os tipos mais comuns de liderança são:

  • Liderança Autoritária (Foco no Chefe): Tecnicamente, também é conhecida como “liderança autocrática”. Costuma tomar decisões baseadas no que ela mesma acredita ou pensa. Gosta de ser o centro das atenções e, como tal, concentra decisões, não permitindo que os liderados contribuam em praticamente nada. Manda e desmanda. Costuma conduzir as pessoas com “rédeas curtas”. Não tolera intervenções, e, muito menos, que constem as suas decisões. Especificamente nas empresas, esse tipo de líder costuma ser responsável pelo “turnover”, ou seja, pela perda de talentos na equipe. Apesar de muito comum, é possível afirmar que esse tipo de liderança é obsoleta para o mundo atual;

  • Liderança Carismática: o líder com este perfil também é muito comum nas companhias. Mas, ao contrário do tipo anterior, ele possui colaboradores mais fiéis. Consegue alcançar o êxito. Motivo? Com o seu carisma e persuasão, desperta a motivação no dia a dia da equipe. A liderança carismática é comum entre aqueles que não possuem expertise técnica nas atividades que os comandados desenvolvem. Apesar disso, por ser estimado e querido pela maioria das pessoas, consegue exercer uma grande influência. No geral, esse tipo de líder alcança bons resultados. Porém, se em algum momento perceber que o seu poder (que é o próprio carisma) não contagia a todos, pode começar a ter dificuldades em manter o time unido;

  • Liderança Democrática: como o próprio nome sugere, é aquele que estimula a participação de todos na tomada de decisões. Extremo oposto da autocrática, esta liderança não é autoritária. No entanto, também não é liberal a ponto de permitir que os comandados tomem as próprias decisões. Ela oferece possibilidades e estimula que todos opinem para que uma decisão possa ser tomada. Costuma fazer com que todos se sintam incluídos e importantes na equipe. O líder com esse perfil é ótimo para gerar motivação e para engajar pessoas;

  • Liderança Especialista: conquistou a posição que ocupa porque é uma verdadeira autoridade na sua área. Possui uma capacidade técnica grande, sendo referência na equipe e também fora dela. Por ter uma expertise elevada, as suas decisões são respeitadas e seguidas por todos, uma vez que a maioria se sente segura com a sua presença. O seu conhecimento encanta e inspira. Mesmo involuntariamente, provoca o surgimento de “discípulos”. Quase sempre, na maioria das vezes, auxilia os subordinados em questões relacionadas à execução do trabalho. Mas, não tem tanta habilidade para se relacionar com indivíduos externos à própria equipe. No geral, precisa aprimorar as relações interpessoais. Em alguns casos, também pode se tornar autoritária e gerar problemas entre os membros do time;

  • Liderança Liberal: é a que dá liberdade total à equipe, deixando os membros à vontade para contribuir, por exemplo, com ideias inovadoras. É um líder importante para equipes maduras, ou seja: aquelas que não demandam supervisão ostensiva. É um líder que se envolve menos, a não ser quando requisitado pelos próprios comandados. Contudo, este tipo de liderança deve estar sempre atenta pois o mesmo time pode tomar decisões à revelia e acabar gerando problemas. Outra característica comum é a equipe parar de enxergá-lo como um líder por achar que ele é desnecessário. 

Como identificar qual é o meu perfil de líder?

Higor: Por meio do autoconhecimento. Assim como todo indivíduo, único, nenhuma liderança é igual à outra. Conhecendo a si mesmo é possível detectar os pontos fortes e fracos e, consequentemente, identificar o próprio perfil de liderança. Vale salientar, que é impossível apontar qual é o melhor tipo de liderança. Todos possuem elementos positivos e os negativos. Dependendo da área de atuação, do ramo de negócios, da composição de uma equipe e do ritmo de trabalho necessário, um estilo de liderança pode prevalecer ou ser mais adequado ao contexto do que outro. Como a liderança é uma competência, pode, sim, ser desenvolvida e está muito relacionada à intensidade de experiência. O mais importante é ter a consciência de que o verdadeiro líder lidera para servir e não para ser servido.

Há perfis de liderança que podem misturar características diferentes?

Higor:  Sim. É o que chamamos de perfil misto. Cerca de 30% dos líderes apresentam uma mescla de dois a três perfis, que variam conforme as circunstâncias. O indivíduo pode, por exemplo, apresentar equilíbrio entre o estilo especialista e o carismático, e, eventualmente, quando surgir um conflito, assumir o papel autoritário por um momento específico. Os líderes com perfil misto tendem a demonstrar características positivas e negativas de dois ou três estilos, o que pode ser até vantajoso, pois, como não há extremos, fica mais fácil canalizar os pontos fortes de cada um.

Uma gestão horizontal parece ser uma tendência dos últimos anos. Há um perfil de líder adequado para este contexto?

Higor: A afirmação é verdadeira. No mundo contemporâneo, é esperado que o líder demonstre equilíbrio entre competências cognitivas, técnicas e emocionais. Ele deve conhecer a si mesmo, elevar a produtividade pessoal, comandar equipes diversificadas e lidar com mudanças e pressões constantes. Lideranças que desejam influenciar positivamente e entregar resultados de qualidade devem antecipar tendências, vislumbrar o futuro e, principalmente, planejá-lo.  É impossível aprender sobre liderança apenas lendo livros ou assistindo palestras. Liderança se aprende na prática, errando e aprendendo. Liderar não é um trabalho fácil. Muitos anseiam por se tornarem líderes, mas poucos conseguem ter a real dimensão da responsabilidade que isso acarreta.

Gostou da entrevista? Liderança tem tudo a ver com cultura organizacional! Aprenda mais aqui:

Gostou do conteúdo? Então, continue por aqui! Todos os dias trazemos notícias sobre as últimas tendências do mercado.

Aproveite e descubra como a 99 Empresas pode levar mais economia e praticidade para o transporte corporativo da sua empresa. Clique aqui e conheça.

Veja Também

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *