Duas pessoas em uma mesa repleta de gráficos enquanto fazem auditoria interna e externa.

Custo direto e indireto: Entenda qual a diferença entre eles!

Na gestão de uma empresa, existem aspectos fundamentais que você deve compreender para colocar o seu negócio no caminho do sucesso. Um desses aspectos é entender a distinção entre custo direto e indireto ao definir o preço de seus produtos ou serviços. 

Quando você conhece as verdadeiras despesas envolvidas na produção e no fornecimento de seus bens ou serviços aos consumidores, pode estabelecer um preço competitivo e mais adequado, não é mesmo? 🤔

Para te ajudar com isso, neste artigo vamos apresentar o conceito e a aplicação do custo direto e indireto, mostrando as principais diferenças entre eles. Ficou interessado? Continue acompanhando e saiba mais! 

Boa leitura!

O que são custos diretos? 

Um custo direto pode ser rastreado diretamente ou associado a uma unidade ou a um centro de custo. Custos diretos são aqueles que podem estar diretamente vinculados à produção de um produto ou à prestação de serviços de uma empresa.

São exemplos de custos diretos: 

  • Mão de obra direta;
  • Materiais diretos;
  • Suprimentos de manufatura.

Como os custos diretos estão diretamente ligados à fabricação de produtos, geralmente eles têm natureza variável. Ou seja, os custos acompanham as mudanças do fluxo de produção muda. 📉

No entanto, também existem alguns custos diretos fixos. Por exemplo, se uma empresa recruta um profissional qualificado para um projeto em andamento com base em contrato, os salários pagos ao trabalhador seriam custos diretos fixos enquanto o projeto continuar.

Sendo assim, os custos diretos podem ser classificados em:

👉 Custos diretos variáveis: despesas que mudam com base em quantos itens você produz ou quantos serviços você oferece. 

👉 Custos diretos fixos: são as despesas que permanecem iguais a cada mês.

Na prática, conhecer o custo direto e indireto é uma parte fundamental para determinar o preço de seu produto ou serviço. 

Se você deseja garantir que os clientes paguem mais do que você investe na sua produção ou na oferta de seus serviços, comece conhecendo os custos diretos da sua operação e fazendo uma precificação justa.

O que são custos indiretos?

Agora, indo para o outro lado da moeda, os custos indiretos não podem ser vinculados a uma unidade de custo específica ou a um centro de custo, mas são incorridos na produção de produtos ou na prestação de serviços.

Também chamados de despesas gerais, esses custos não podem ser rastreados diretamente para uma única unidade de produto. São exemplos de custos indiretos:

  • Materiais indiretos, como embalagem e branding;
  • Trabalho indireto, por exemplo, o salário de um supervisor de local;
  • Despesas indiretas, como depreciação, serviços públicos, aluguel e outras.

A dificuldade em atribuir os custos indiretos acontece porque eles estão, de certa forma, relacionados à fabricação dos produtos, mas não podem ser atribuídos a unidades individuais. 

Por isso, os custos indiretos são geralmente fixos por natureza. Por exemplo, o aluguel de uma fábrica será um custo indireto de produção, mas permanecerá fixo independentemente dos níveis de produção.

Qual a diferença entre custo direto e indireto? 

A abordagem e a clareza do custo direto e indireto é fundamental para o cálculo dos custos e lucros de produção, facilitando o processo de gestão e tomada de decisão. 

Para isso, é importante ter em mente as principais diferenças entre custo direto e indireto.

Custos Diretos

Os custos diretos podem ser rastreados com mais facilidade, já que são relacionados à produção, fabricação ou desenvolvimento de um produto. São características dos custos diretos:

  • Relacionados à fabricação do produto, classificado em: material direto, mão de obra direta ou despesas diretas.
  • São rastreáveis ​​aos produtos diretamente.
  • Possuem natureza variável, mas também podem ser custos diretos fixos.
  • São facilmente mensuráveis ​​em termos de custo por unidade.
  • Exemplos de custos diretos incluem: matéria prima; salários de mão de obra direta; equipamentos e custos de produção.

Custos indiretos

Enquanto isso, os custos indiretos não podem ser diretamente ligados à produção, fabricação ou desenvolvimento de um produto. São características dos custos indiretos:

  • Não estão diretamente relacionados à fabricação de um produto;
  • São difíceis de medir em termos de custo por unidade;
  • São fixos, mas podem ser variáveis ​​em alguns casos.
  • Exemplos de custos indiretos incluem: serviços de utilidade pública; aluguel e seguro; marketing e vendas; frete e transporte e custos de contabilidade e depreciação.

Na prática, a principal diferença entre custo direto e indireto é a possibilidade de avaliar o cálculo por unidade.

Por exemplo, os custos das matérias-primas podem ser facilmente calculados por unidade. No entanto, os custos com despesas de marketing não podem ser atribuídos facilmente por unidade.

De maneira simples e objetiva:

  • Os custos diretos são diretamente atribuíveis a uma unidade de custo ou centro de custo; e
  • Os custos indiretos estão relacionados a uma unidade de custo, mas não podem ser atribuídos diretamente. 

Os custos referentes aos serviços e categorias 99Empresas se encaixam dentro do aspecto de custos indiretos, tendo em vista que não são diretamente relacionados a uma unidade para cálculo.

Podemos observar, como exemplo, a entrega e envio de produtos com 99Empresas através do 99Entrega, ou até mesmo o transporte de colaboradores e clientes de forma mais prática, segura e econômica.

Empresários realizando auditoria interna e externa.
Compreender quais são as diferenças entre custo direto e indireto é fundamental para todo gestor. Desse modo, o cálculo para lucro e custos gerais fica mais certeiro e prático.

Qual a importância do controle e gerenciamento do custo direto e indireto?

Quando o gestor compreende a importância do custo direto e indireto e aprende a diferenciá-los, ele passa a ter uma visão mais abrangente e realista da sua operação, que orienta e direciona o planejamento financeiro de uma empresa. 💡

Com a visibilidade dos custos, os gestores têm parâmetros claros para definir o preço de venda de um produto ou serviço, de modo que seja possível cobrir todos os gastos da operação, garantir um extra para ser reinvestido na empresa  e, é claro, obter lucro. 

Além disso, conhecer os custos diretos e indiretos também é importante para planejar gastos futuros. Se para produzir 3 mil camisetas por mês você tem um custo direto de X e um custo indireto de Y, sabe que, mensalmente, precisa de, no mínimo, X + Y em caixa para garantir a produção sem dor de cabeça.

Como fazer a gestão do custo direto e indireto?

Independentemente do tipo, é fundamental que esses custos sejam reconhecidos e controlados. A falta de clareza sobre esses valores pode gerar sérios problemas.

Não raramente as empresas mantêm uma operação deficitária, pagando para produzir ou prestar os serviços. E convenhamos, ficar no vermelho, sem lucratividade real, é tudo o que um gestor não quer, concorda? 🤔

Por isso, selecionamos algumas dicas para a gestão de custo direto e indireto, confira: 👇

#1 Acompanhe a inflação e atualize seus custos 

O custo dos bens e serviços flutua dependendo dos fatores de mercado. Isso pode resultar em aumento de despesas. Essas mudanças de preço exigem ajustes de orçamentos e gastos.

Em termos de controle de custos, você deve levar essas mudanças em consideração ao se preparar para riscos e variações.

#2 Crie planos de contingência

Ainda que o seu fluxo de produção esteja redondo, há uma chance de que algo dê errado. Por isso, é importante antecipar esses riscos financeiros e criar estratégias para se adaptar a eles.

Pense nessas contingências como planos de backup. Quanto mais você imaginar o inesperado, mais preparado estará.

#3 Acompanhe as despesas em tempo real

Um aspecto crucial do controle de custos é rastrear e documentar despesas. Esta é a única maneira de detectar variações e corrigi-las daqui para frente. Quando você rastreia despesas em tempo real, pode detectar flutuações de custos e fazer os ajustes necessários, mantendo a lucratividade da operação.

#4 Colete dados regularmente

Consistência é a palavra-chave na gestão de custo direto e indireto. Quando a operação se mantém lucrativa, a coleta de dados pode parecer pouco relevante e até deixar de ser uma prioridade. Mas quando permitimos que isso aconteça, os dados se tornam distorcidos e menos úteis no futuro.

Ou seja, o controle de custos deve consistir em detectar variações favoráveis ​​tanto quanto as desfavoráveis.

#5 Documente e avalie todas as variações

Mesmo as menores variações devem ser documentadas. Eles podem parecer insignificantes no momento, mas é provável que venham a ser úteis mais tarde. 

Se os funcionários precisarem de algumas horas extras para concluir uma tarefa, essa é uma despesa indireta inesperada. Pequenas variações como essas podem parecer acaso, mas certamente são importantes para uma precificação mais coerente e precisa do seu produto ou serviço. 

A gestão desses custos é apenas um dos vários desafios dos gestores. Na prática, é preciso buscar alternativas capazes de viabilizar o equilíbrio do custo direto e indireto com relação aos resultados obtidos. 


Para começar, que tal reduzir os custos com transporte de profissionais? A 99 Empresas pode ajudar você. Conheça mais e veja os benefícios! 😉

Veja Também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.