Pessoa lendo o dicionário do investidor em um fundo amarelo.

Dicionário do investidor: Conheça os principais termos!

Administrar uma empresa ou um setor envolve uma curva de aprendizado constante. Seja como empreendedor, seja como líder de uma área ou ainda como um colaborador jovem, há sempre uma nova ferramenta para dominar, problemas para resolver e vocabulário para entender.

Para não ficar totalmente sobrecarregado, o ideal é analisar um segmento de cada vez. Por exemplo, sentir-se confiante ao discutir as necessidades financeiras da empresa deve ser uma prioridade para todo gestor. Afinal, conhecer a “linguagem” das finanças, tendo como base o dicionário do investidor, pode facilitar o seu trabalho.

Para ajudar você a negociar no mundo das finanças empresariais, listamos alguns dos principais termos que devem ajudá-lo a fazer uma gestão mais assertiva e eficaz.

Continue lendo o artigo e aproveite o dicionário do investidor! 😉

Dicionário do investidor: A 

Alocação de ativos

A alocação de ativos é onde você escolhe colocar seu dinheiro. As três principais classes de ativos são

  • Ações;
  • Títulos;
  • Dinheiro (ou equivalentes a dinheiro).

Cada um deles reage de forma diferente às condições do mercado e da economia. Portanto, certifique-se de escolher aqueles que se alinham melhor com seus objetivos, tolerância ao risco e intervalo de tempo.

Alavancagem

Embora seja uma estratégia arriscada, é bom que você conheça esse termo do dicionário do investidor. Ao usar a alavancagem, é possível  emprestar ações de do seu corretor com o objetivo de aumentar seu lucro.

Se você pegar emprestadas as ações e vendê-las a um preço mais alto, basta devolvê-las e ficar com a diferença. Contudo, esse é um jogo perigoso, então fique atento. 👀

Dicionário do investidor: B

Balança comercial

É responsável pelo registro das exportações e importações de bens executadas por um país num prazo determinado. O saldo da balança comercial é resultado da  diferença entre o volume de exportações e o volume de importações efetivadas em dado período.

Quando o saldo é positivo, temos superávit comercial. Já se o saldo é negativo, o resultado é o déficit comercial.

BDR (Brazilian Depositary Receipt)

Os BDRs são os títulos emitidos por instituições financeiras do Brasil, representando ações de companhias estrangeiras. Esse tipo de título é negociado livremente no país, inclusive nas bolsas de valores.

O banco que faz o intermédio da negociação é responsável por manter, no país de origem dos valores mobiliários, o certificado de custódia dos BDRs. 

BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros)

Sediada em São Paulo, a Bolsa é o espaço onde são negociados contratos futuros de ativos e mercadorias como: taxas de juros, taxas de câmbio, índice de ações, ouro, cupom cambial, títulos da dívida, soja, milho, açúcar, café, etc.

Para fazer negociações na BM&F, o investidor precisa contar com o suporte de uma corretora de mercadorias, além de ter um registro na bolsa.

Dicionário do investidor: C 

Capital social

Consiste no montante de capital de uma sociedade anônima que os acionistas vinculam a seu patrimônio como recursos próprios. Basicamente, a soma do capital social integralizado de uma empresa é uma das partes que formam o patrimônio líquido de uma empresa. 

Carteira administrada

Um dos termos mais relevantes do dicionário do investidor, a carteira administrada é um dos serviços mais personalizados oferecidos para clientes de maior porte que, geralmente, investem em ações, renda fixa e também em mercados futuros.

O cliente define seus objetivos, indicando a segurança, a rentabilidade e a liquidez desejadas, e o portfólio de investimentos é revisado diariamente pelos especialistas neste tipo de estratégia.

Dicionário do investidor: D

Dividendo

É uma parte dos ganhos de uma empresa paga aos acionistas em uma base trimestral ou anual. Nem todas as empresas pagam dividendos. Por exemplo, se você negociar ações de baixo custo, provavelmente não estará atrás de dividendos.

Dicionário do investidor: E 

EVA (Economic Value Added)

Derivada do inglês, a sigla significa “Valor Econômico Adicionado”. Na prática, o EVA, indicador que surgiu em 1982, aponta o montante de capital gerado para o acionista.

Esse é um indicador importante para o dicionário do investidor e para sua prática, afinal, permite avaliar com clareza se o recurso aplicado num determinado negócio está garantindo rentabilidade ou não.

Homem sentado com um notebook estudando o dicionário do investidor.
Os principais termos do dicionário do investidor estão presentes na rotina administrativa de líderes e gestores empresariais, por isso devem se manter frescos na mente.

Dicionário de investidor: F 

Fundo Garantidor de Crédito

Também conhecido pela sigla FGC, é uma entidade privada, sem fins lucrativos, que trabalha para garantir a proteção e o ressarcimento dos investidores sempre que preciso. O FGC entra em cena quando a instituição financeira que mantém os ativos dos clientes sob custódia declara falência.

Dicionário de investidor: G 

Goodwill

Esse termo se refere aos ativos intangíveis de uma empresa. A fidelidade do cliente, a reputação da marca e outros ativos não quantificáveis fazem parte desta categoria.

Na contabilidade, o goodwill é um ativo intangível associado a uma combinação de negócios, sendo registrado no balanço quando duas empresas concluem uma fusão ou aquisição.

Dicionário do investidor: H 

Home Broker

É uma plataforma digital que permite a compra e a venda de títulos e ações de modo simples, fácil e prático usando o seu tablet, computador ou smartphone.

Hedge 

É o instrumento criado para proteger operações financeiras do risco de grandes variações de preço em um determinado ativo. No mercado financeiro, são usadas expressões como “fazer um hedge” ou “se hedgear”. 

Para garantir essa proteção, podem ser feitas operações nos mercados derivativos (opções e futuros). Outra possibilidade é assumir uma posição em um ativo com comportamento inverso ao do ativo que deve ser protegido. 

Dicionário do investidor: I 

IGPM

O Índice Geral de Preços de Mercado, calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) , é responsável por indicar a inflação do país. O cálculo do IGPM toma como base os preços coletados no mês de referência, ou seja, entre os dias 21 do mês anterior e o dia 20 do mês vigente.

Dicionário de investidor: J

Juros compostos

São os juros calculados sobre a quantidade de dinheiro que você depositou ou pediu emprestado.

Quando você está investindo ou economizando, os juros compostos são os ganhos obtidos sobre o valor depositado, somados a quaisquer juros que você acumulou ao longo do tempo.

No entanto, quando você está pedindo um empréstimo, são cobrados juros compostos sobre o valor original que foi emprestado, bem como os encargos de juros que são adicionados ao seu saldo pendente ao longo do tempo.

Dicionário do investidor: L

Liquidez 

O conceito refere-se à facilidade com que uma ação pode ser vendida. Uma ação que pode ser vendida rapidamente, ou seja, com altos volumes de negociação, é considerada altamente líquida.

Dicionário de investidor: O 

Oferta Pública Inicial (IPO)

Um IPO é a primeira venda ou oferta de ações de uma empresa ao público. Acontece quando uma empresa decide abrir o capital em vez de permanecer propriedade exclusiva de investidores privados ou internos.

A Securities Exchange Commission (SEC) tem uma série de regras rígidas que as empresas devem seguir antes de emitir um IPO.

Dicionário de investidor: P

Patrimônio líquido

Basicamente, o patrimônio líquido é a diferença entre os ativos (o que a empresa possui) e os passivos (o que a companhia deve).

Em síntese, o patrimônio líquido representa os valores contábeis que os sócios ou acionistas possuem na empresa em um determinado momento. Dessa maneira, o valor líquido ajuda a avaliar a saúde financeira geral da companhia.

Homem vestindo um terno preto, sentado em uma mesa enquanto lê o dicionário do investidor.
O patrimônio líquido é um dos principais termos do dicionário do investidor. Ele representa os valores concretos de uma empresa.

Dicionário de investidor: R

Renda Fixa

A renda fixa é a modalidade de investimento ideal para investidores iniciantes ou com perfil conservador. Isso porque ela garante segurança e bons rendimentos.

Na prática, a renda fixa abrange uma série de títulos privados e públicos  com benefícios e características próprias. São exemplos:

  • Tesouro Direto;
  • CDB (Certificado de Depósito Bancário).

Renda variável

Diferente da renda fixa, nesta modalidade é mais difícil prever a rentabilidade  do investimento no futuro. Os ativos da renda variável podem proporcionar ganhos maiores.

Aqui, a lógica é: quanto maior for o risco da sua operação, maiores são as chances de obter um excelente retorno sobre o investimento.  💰

Dicionário do investidor: S

Spread

Basicamente, é a diferença entre o preço de compra e venda de uma ação, investimento, título ou transação monetária. Por exemplo, quando o banco financia um imóvel para o cliente, ele cobra uma taxa de financiamento, que será superior à taxa de captação. O spread bancário é a diferença entre as duas taxas.

Dicionário do investidor: T

Taxa Selic

A Taxa Selic é a abreviação de Sistema Especial de Liquidação e Custódia, a tarifa básica de juros do Brasil. O Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) é responsável pela definição da meta a cada 45 dias. Com influência direta na inflação e no crédito, a Taxa Selic rege os juros do mercado interbancário.

Dicionário do investidor: V

Volatilidade

Esse é um dos principais termos do dicionário do investidor. Isso porque para tomar decisões assertivas no mercado financeiro é preciso entender o conceito de volatilidade e acompanhar os movimentos e os preços dos ativos. 

Ações altamente voláteis são aquelas com movimentos diários extremos para cima e para baixo e amplas faixas de negociação intradiária. Isso costuma ser comum com ações pouco negociadas ou com baixos volumes de negociação.

As ações de alta volatilidade tendem a gerar um grande lucro com picos ou quedas, dependendo de como estiver negociando, em um curto período de tempo. A alta volatilidade geralmente torna a negociação mais estimulante, mas também é arriscada se você for inexperiente.

É claro que esses são apenas alguns termos do dicionário do investidor. A lista é muito mais extensa. Existem muitos outros conceitos que você encontrará ao investir no mercado de ações.

Porém, esse é um bom ponto de partida. Para se sentir mais seguro, especialmente se você é iniciante no mercado de investimentos, considere encontrar um mentor para orientá-lo no processo de aprendizagem de como investir.

Organização e planejamento financeiro com 99Empresas

Depois de conferir todos esses termos, tenho certeza que você está se sentindo muito mais preparado e capaz de  organizar e se planejar financeiramente para atingir melhores resultados com seu negócio. Pensando nisso, a 99Empresas pode te ajudar  com um dos principais setores de uma empresa: mobilidade corporativa.

Com a plataforma 99Empresas, além dos colaboradores aproveitarem um transporte muito mais prático e seguro, os líderes e gestores podem organizar, planejar e otimizar o transporte corporativo com mais facilidade.

Para exemplificar melhor, é possível controlar e gerenciar toda parte financeira criando centros de custos, levantando e analisando relatórios entre outras funcionalidades. Tudo através da plataforma 99Empresas.

Todos saem ganhando, não é mesmo? 😊

Conheça e entenda mais sobre 99Empresas e transforme a mobilidade corporativa do seu negócio!

Veja Também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.