Três homens conversam olhando para um tablet enquanto um homem e uma mulher conversam no fundo. Eles estão em um escritório.

7 dicas para uma boa gestão de pessoas

Quer alavancar a produtividade da sua empresa? É simples: invista na qualidade de seus recursos humanos. Talento, perfil, habilidades, conhecimento: essas características são absolutamente fundamentais para que a equipe consiga alcançar os resultados desejados. O detalhe, porém, é que acontece sim de um time ótimo apresentar um desempenho apenas mediano. Qual seria a causa desse problema? Pois a resposta pode estar em uma gestão de pessoas ineficiente.

É a gestão de pessoas que mobiliza os recursos humanos disponíveis para atingir os melhores resultados possíveis. Para isso, o gestor precisa identificar maneiras de inspirar os colaboradores a empenhar habilidades e esforços a fim de alcançar um determinado objetivo — que deve ser ao mesmo tempo desafiador e realista. Com essa postura, as equipes são estimuladas a atingir níveis cada vez mais altos de produtividade. A partir daí, motivados pelo sucesso, os colaboradores conseguem aperfeiçoar sua atuação, garantindo resultados mais e mais expressivos. Cria-se, assim, um ciclo virtuoso de superação e excelência.

E não se trata apenas de números, viu? Em uma empresa em que a gestão de pessoas é adequada, os colaboradores se sentem inseridos em um propósito maior. Nesses ambientes, a captação e a retenção de talentos é muito mais simples, o engajamento desses colaboradores é expressivo e os resultados para a organização (imediatos e de longo prazo) são mais que compensadores.

Mas agora você deve estar aí se perguntando: qual é a melhor forma de explorar o todo o potencial de uma equipe? Pensando nisso, selecionamos 7 dicas infalíveis para uma boa gestão de pessoas. Curioso? Continue lendo nosso post de hoje e descubra como praticá-la!

1. Conheça

Nenhum ser humano possui sozinho todas as qualidades necessárias para executar qualquer tipo de tarefa. Por essa razão, para obter bons resultados, seu staff precisa ser formado por pessoas com características e competências diferentes. Então guarde: é essencial montar um time com colaboradores de competências complementares. Com isso em mente, fique atento à variedade de habilidades e talentos desde a seleção.

É papel do líder realmente conhecer cada funcionário, identificando não só seus pontos fortes, mas também os aspectos que podem ser melhorados. Isso permitirá que, ao delegar tarefas, ele atribua a cada um as funções para as quais possuem maior aptidão. Dessa forma, todos contribuem com suas melhores qualidades, proporcionando oportunidade de crescimento conjunto. Nesse cenário, os resultados costumam até superar as expectativas!

2. Motive

Nenhum colaborador gosta de simplesmente seguir ordens — especialmente aquele tipo mais inovador, com potencial para grandes conquistas. E não se surpreenda com isso, porque não se trata de uma atitude rebelde. As pessoas querem sentir que seu trabalho e as tarefas que executam têm um significado maior, que fazem parte de um contexto mais amplo e com um propósito definido.

Proporcionar esse panorama mais aberto é, portanto, essencial para manter o quadro de funcionários motivado e engajado na realização de qualquer projeto. Pense bem: um líder deve ser capaz de fazer muito mais que apenas definir funções e cobrar resultados. O ideal, na verdade, é que ele inspire os colaboradores a incorporarem os objetivos da companhia e a se empenharem em sua concretização.

3. Delegue

Por mais competente que seja, nenhum profissional consegue sozinho ser tão produtivo quanto uma equipe inteira. E um bom líder sabe muito bem disso. Portanto, seja para cumprir uma tarefa corriqueira ou dar andamento a um projeto mais complexo, a melhor solução é delegar responsabilidades.

Quando o gestor conhece bem os membros do seu time, consegue identificar em que aspectos cada um se diferencia dos demais e quais são suas competências mais apuradas. Com essas características em mente, fica mais fácil atribuir as tarefas certas às pessoas mais capacitadas para executá-las.

4. Confie

Você conhece as habilidades e o grau de comprometimento de seus colaboradores? Delegou com critério, levando esses fatores em consideração? Então confie no trabalho deles e deixe que se empenhem em demonstrar os melhores resultados!

Vale lembrar que existe uma grande diferença entre delegar e mandar. Delegar envolve compartilhar uma responsabilidade, enquanto mandar exige a mera execução de tarefas. Está presente na delegação um clima de confiança. Por isso, mesmo que o projeto não exclua sua participação e colaboração como gestor, não só acredite que o funcionário tem a capacidade de apresentar a resposta desejada como deixe essa confiança transparecer.

5. Acompanhe

Apesar da confiança que o líder deve ter ao delegar uma tarefa, isso não quer dizer que ele se livrou dessas atribuições e nem da responsabilidade pelos resultados. No caso, ele simplesmente as compartilhou com o grupo. Por isso, não confunda: delegar e confiar não significa abandonar! A gestão responsável de pessoas exige que o líder acompanhe as etapas do processo, verificando o andamento das tarefas, orientando os colaboradores, corrigindo possíveis distorções e providenciando os recursos necessários para que a entrega ocorra no prazo previsto e de acordo com as expectativas.

É preciso fazer um acompanhamento periódico das funções individuais e também uma reunião com toda a equipe para avaliar o ritmo de execução e propor alterações. Isso proporciona sincronia e cooperação, promove o sucesso e até mesmo o desenvolvimento de competências. Dessa forma é possível evitar surpresas quanto à qualidade do resultado e ao tempo necessário para a entrega do projeto.

6. Avalie

Em cada etapa do projeto, é necessário avaliar o desempenho individual dos colaboradores. E o melhor método para isso é também o mais simples: a avaliação por competências. Converse com cada funcionário antes de iniciar uma nova fase, deixando que exponha os obstáculos que precisou enfrentar e conte sobre as soluções encontradas.

Houve erros pelo meio do caminho? Mostre como aprender com eles e sugira possíveis alternativas para as próximas vezes. Se precisar apontar falhas, faça isso de maneira discreta e sutil, tentando entender o lado do colaborador para orientá-lo da melhor forma possível.

7. Comemore

Por mais que seus funcionários recebam um determinado salário para produzir os resultados pedidos, tratar o bom desempenho como mera obrigação é extremamente desmotivador.

Para manter o desejo de superação e a busca pela excelência sempre em alta, comemore os bons resultados, por menores que sejam. Um almoço, um coffee break diferenciado ou até mesmo um happy hour são excelentes opções. O estilo da celebração pode variar de acordo com as possibilidades da empresa. O segredo está em imprimir um clima de time vitorioso à reunião. Acredite: só isso já vai fazer com que eles queiram repetir a proeza muitas e muitas vezes.

Agora que você já sabe como ter sucesso com a gestão de pessoas, que tal descobrir também algumas dicas para desenvolver a autoliderança?

Veja Também

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.