Funcionários observam dados disponibilizados em tablet

Plano de mobilidade corporativa: o que é e como montar?

Mobilidade corporativa não é uma novidade no meio empresarial e nem aqui no blog. Hoje, vamos direto ao que interessa: como montar um planejamento voltado a essa estratégia.

Então, se você quer trazer sua empresa para o século XXI e oferecer mais eficiência e flexibilidade ao trabalho da sua equipe, não pode perder esse passo a passo. Confira!

O que é o plano de mobilidade corporativa?

Você já sabe o que é mobilidade corporativa — a tendência usa recursos e tecnologias para facilitar o deslocamento dos colaboradores, especialmente considerando os desafios do trânsito nas grandes cidades. Também já deve conhecer suas vantagens.

Então, o que é o plano de mobilidade corporativa?

Trata-se de uma esquematização da maneira como a empresa vai implementar essa estratégia. Afinal, assim como em qualquer processo de mudança, não basta “meter a cara” e torcer para dar certo.

É preciso ter um mapa, por assim dizer, indicando o melhor caminho para chegar ao resultado desejado.

Quando você cria um plano, a estratégia de mobilidade corporativa tem mais chances de funcionar. Isso porque o próprio ato de planejar já vai expor as possíveis falhas da sua ideia, permitindo que você aprimore a proposta ou determine maneiras de eliminar os riscos.

Além disso, ele estabelece metas e prazos para a implementação da estratégia, o que é essencial quando a mudança é profunda. Para completar, é um documento que pode ser usado para educar e alinhar a equipe em relação à nova maneira como a empresa vai lidar com o transporte dos colaboradores.

Como montar um plano de mobilidade corporativa?

Existem cinco passos essenciais para montar um plano de mobilidade corporativa eficiente. Vamos abordar cada um deles em detalhes?

1. Identificar as demandas de mobilidade da empresa

O primeiro passo é observar quais são as verdadeiras demandas da sua empresa, no que diz respeito ao deslocamento dos colaboradores. É importante entender que nem todas as organizações possuem o mesmo perfil.

Em algumas empresas, a única situação em que o colaborador precisa de deslocamento é na hora de ir da casa para o trabalho, e vice versa.

Em outras, o deslocamento é constante; a equipe realiza visitas técnicas, reuniões externas, participa de eventos, viagens a trabalho e assim por diante.

Para cada um destes perfis, haverá um plano de mobilidade corporativa diferenciado. Em alguns casos, inclusive, é possível que esse plano nem seja necessário.

2. Identificar os principais desafios

Agora que você já identificou as demandas, é hora de passar aos desafios. Estamos falando daqueles problemas que você enfrenta atualmente e que gostaria de eliminar por meio da nova estratégia de mobilidade corporativa.

É mais fácil explicar esse item com exemplos. Veja só os desafios mais comuns, que sua empresa pode estar enfrentando agora mesmo:

  • processos muito burocráticos para organizar o transporte dos colaboradores;
  • dificuldade para realizar a gestão dos gastos;
  • falta de segurança no transporte da sua equipe;
  • problemas na pontualidade e agilidade no deslocamento;
  • abuso da equipe no uso dos recursos de transporte disponíveis.

É claro que sua empresa pode enfrentar outras dificuldades, além das que listamos aqui. Você precisa identificá-las, pois cada problema exige uma abordagem.

3. Pesquisar soluções

Ciente das demandas e dos desafios, é hora de pesquisar quais são as soluções disponíveis. E saiba que não existe apenas uma resposta possível, cada empresa pode se beneficiar de uma estratégia de mobilidade corporativa diferente.

Imagine uma empresa cujo escritório fica no centro de São Paulo. Os colaboradores chegam atrasados ao trabalho todos os dias devido aos engarrafamentos.

Essa empresa pode criar um plano de mobilidade corporativa focado em incentivar o uso de bicicletas para o deslocamento. Desta forma, elimina o desafio identificado e ainda favorece a saúde da equipe e demonstra consciência ambiental.

Por outro lado, imagine uma empresa que atende clientes em seus próprios escritórios; seus colaboradores fazem duas ou três visitas externas, diariamente.

Geralmente ela utiliza o táxi tradicional ou carro particular, mas está tendo problemas para coordenar os agendamentos e ainda está enfrentando altos gastos com o transporte.

Essa empresa pode criar um plano de mobilidade corporativa implementando o uso de um app de mobilidade, o que vai desburocratizar processos e garantir tarifas mais atraentes.

4. Buscar parceiros especializados

Não adianta só criar um plano e identificar a solução certa; é preciso, ainda, buscar o parceiro certo.

Para a maioria das soluções de mobilidade corporativa, existem diversos fornecedores, e cada um deles tem suas próprias características. Sua missão é achar aquele que tem o encaixe perfeito com a sua empresa, para que não seja preciso ficar trocando de provedor.

5. Definir o processo de implementação

Depois de completar os quatro passos essenciais, chega a hora de efetivamente montar o plano de mobilidade corporativa, definindo como a solução escolhida será implementada.

Vamos retomar um dos exemplos que vimos anteriormente?

A empresa que optou por um app de mobilidade para resolver seus problemas precisa, neste passo, formalizar:

  • quem vai ter acesso ao aplicativo;
  • quais serão as regras (isto é, a política) de uso do app;
  • com que frequência serão apurados os gastos (o que fica muito mais fácil, já que o app gera os relatórios automaticamente e atualiza as informações em tempo real);
  • qual será o budget para as corridas;
  • como a empresa vai se posicionar, caso haja um abuso na utilização do recurso.

Depois de colocar tudo isso no papel, a empresa pode passar à execução. Esse é, como já dissemos lá no começo, o seu mapa. Ele facilita a implementação, respondendo às principais perguntas que vão surgir ao longo desse processo.

Além disso, enquanto você formaliza as informações básicas, as dúvidas e incoerências vão ficando mais claras.

Ou seja, essa é a melhor maneira de visualizar todos os possíveis obstáculos da implementação antes de, efetivamente, colocar a mão na massa. Aí, basta ir refinando as arestas do seu plano.

Agora que você já sabe como montar um plano de mobilidade corporativa, está a fim de saber o que sua empresa realmente ganha com isso? Então, não deixe de ler nosso artigo!

Veja Também

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *