Mulher e homem olham para notebook. Ela está apontando para tela enquanto ele olha com atenção. Estão em um escritório com uma grande janela que permite a entrada da luz do dia.

5 dicas para montar um plano de negócios eficiente

Empreender sem um bom planejamento é como viajar a um destino desconhecido sem um mapa, bússola ou GPS. É não traçar o caminho, não prever os obstáculos e, por isso, não se preparar adequadamente para superá-los e alcançar o sucesso.

E você, já criou um plano de negócios para sua empresa? Quer saber como elaborar essa ferramenta de forma eficiente, para que ela não seja só mais um documento em sua gaveta?

Então continue a leitura deste post e confira nossas dicas!

O que é o plano de negócios?

Trata-se de um documento que reúne todos os dados essenciais à criação e gestão de uma empresa. Ele traça desde a sua identificação — o que é, o que oferece, o modelo de negócio, quem são os responsáveis — até os detalhes operacionais e financeiros.

Ele é fundamental para estabelecer os parâmetros de como a empresa funcionará e o que ela pretende alcançar. Essas informações são importantes na hora de tomar decisões sobre o futuro do empreendimento.

Para elaborá-lo, alguns gestores buscam consultoria especializada, mas nem sempre isso é necessário. A própria internet oferece modelos prontos (vamos falar sobre isso depois) que podem ser utilizados na confecção do documento.

O fundamental é entender que o propósito do plano é conhecer o mercado, identificar as oportunidades que ele oferece, criar uma estratégia a fim de aproveitá-las e se preparar para os contratempos que a empresa pode enfrentar.

No final das contas, trata-se de um estudo que ajudará o empreendedor a saber se realmente vale a pena abrir, manter ou ampliar o negócio, de acordo com o cenário apresentado e as possibilidades de sucesso no momento.

Qual é a importância do plano de negócios?

Quando o empreendedor coloca seu plano no papel, ele tem a oportunidade de visualizar melhor todos os aspectos referentes ao funcionamento do negócio. Dessa forma, é possível analisar com mais precisão a viabilidade de suas ideias e encontrar soluções para eventuais problemas e obstáculos.

O plano também é relevante porque deixa a missão, visão e objetivos do negócio muito claros para todos os envolvidos. Gestores, funcionários e outros parceiros sabem exatamente o que esperar da organização e o que ela deseja que eles produzam.

Existe ainda outro ponto que merece destaque, quando falamos da importância do plano: é o seu papel como “consultor”. À medida que o negócio começa a acontecer, o empreendedor costuma encontrar muitas novidades e propostas.

Ele pode acreditar, em alguns momentos, que certas atitudes ou investimentos são interessantes. Porém, ele precisa sempre recorrer ao seu plano de negócios e verificar se essas opções realmente contribuem para que a empresa alcance as metas estabelecidos no documento.

Assim, ele saberá priorizar a aplicação de tempo, recursos e esforços de acordo com o seu planejamento. O que auxilia sua concretização é válido e pode ser incorporado. Mas se a iniciativa vai desviar a empresa da rota, é melhor deixá-la para outro momento.

Como elaborar um plano de negócios eficiente?

1. Escolha uma metodologia

O primeiro impulso para criar o seu plano de negócios é pesquisar algumas receitas prontas — a internet está cheia delas!

Lá você vai encontrar algumas etapas, como “Definição da missão, visão e valores”, “Análise do mercado”, “Benchmarking”, “Perfil do público-alvo”, “Plano operacional”, “Planejamento financeiro“, entre outras seções.

O problema é que esse passo a passo padronizado nem sempre contempla todos os aspectos específicos do seu ramo de atuação. Portanto, o ideal é escolher uma metodologia que ajude o empreendedor a pensar estrategicamente em seu negócio.

2. Entenda as demandas do público-alvo

Esse é um passo de extrema importância. Afinal, não adianta o empreendedor se apegar a uma ideia que ele considera espetacular se o público-alvo não consegue perceber o valor daquele produto ou serviço.

Para não errar, concentre-se em compreender o seu consumidor ideal: suas características, hábitos, estilo de vida. Com esse conhecimento, você entenderá também quais são os desejos e necessidades desse segmento e, consequentemente, suas demandas.

O sucesso do negócio depende justamente disso: da sua capacidade de oferecer o que o público precisa ou deseja, que entende como indispensável para sua segurança, saúde, bem-estar, comodidade, felicidade etc.

3. Foque no diferencial da empresa

Sua empresa pode até oferecer o que todas as outras oferecem, mas nunca da mesma forma que elas. No final das contas, mesmo que o seu produto ou serviço seja algo relativamente comum, é preciso se destacar da maioria com alguma espécie de diferencial.

Essa parte pode até exigir criatividade, testes e pesquisas, mas é fundamental que a empresa reinvente uma necessidade ou a forma de satisfazê-la. A vantagem para o consumidor precisa ficar evidente, a fim de que ele tenha um motivo claro para escolher o seu negócio, e não os concorrentes.

4. Preveja diferentes cenários

Sem dúvida, a expectativa do empreendedor é que o negócio alcance o sucesso. Porém, além de ninguém ter certeza do que pode acontecer e de qual será a recepção do público à sua ideia, ainda existe todo um cenário político e econômico que interfere nos resultados.

Por isso, é importante se planejar de forma realista, prevendo tanto cenários favoráveis quanto desfavoráveis. Ao realizar esse tipo de previsão, o empreendedor fica preparado para os obstáculos que pode enfrentar em sua gestão.

É fundamental identificar as áreas que vão precisar de um suporte adicional se os resultados não forem exatamente os esperados. Esse cuidado pode ser decisivo para a sobrevivência do negócio.

5. Defina métricas para monitorar os resultados

Como medir o sucesso de um empreendimento? É para isso que servem as métricas. Elas estabelecem alvos concretos que você pretende alcançar, dentro de prazos determinados.

Para isso, é essencial focar em metas que realmente indiquem a saúde do seu negócio. A análise pode se basear em indicadores de produtividade, qualidade, lucratividade, valor do ticket médio, taxa de sucesso em vendas…

O importante é identificar se esses números estão dentro do que a empresa estabeleceu como objetivo. Assim, ela pode dar continuidade a ações que deram certo (e melhorá-las) e corrigir a rota nos aspectos que não estão tendo o resultado esperado.

Agora que você já conhece a melhor maneira de montar um plano de negócios eficiente, que tal ir ao próximo passo e começar a pensar na expansão da empresa? Continue em nosso blog e confira como fazer isso!

Veja Também

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.